Coopervaí: Um Sonho em Construção

Bruno Novais dos Santos, Sônia Maria Crivelli Mataruco

Os alunos da pós-graduação de Auditoria e Perícia Ambiental juntamente com alunos do Curso Gestão Ambiental do Grupo Fatecie estiveram no dia 30 de abril visitando a cooperativa de catadores Coopervaí.

A princípio, o que parecia uma visita técnica rotineira tornou-se uma prazerosa troca de experiência entre alunos, professores e cooperados. Acompanhados pelo professor Paulo Inada, Sônia Mataruco e Renan Gonçalves, os alunos foram recepcionados pela gerente da Cooperativa Vera Marcia e Patrícia Cristina, presidente da mesma, que explicaram sobre os processos de produção, tirando dúvidas e falando das conquistas e dificuldades que a cooperativa tem enfrentado nos últimos anos.

A cooperativa nasceu no ano de 2003 com o propósito de tirar os catadores do lixão e das ruas de Paranavaí e apoiada pelo município formou-se a Coopervaí, que hoje é referência no estado do Paraná atendendo vários municípios. A Coopervaí tornou-se um instrumento de suma importância para Paranavaí e região, adequando os municípios à Lei 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos) para destinação correta de seus resíduos. A partir do momento que a Lei 12.305 entrou em vigor, a cooperativa Coopervaí ganhou força, devido a necessidade das comarcas de se adequarem. Em suma, a Lei exige a destinação correta dos resíduos sólidos e proíbe lixões a céu aberto.

Emocionada, a gerente Vera Marcia, que também é aluna do curso de gestão ambiental da Fatecie, explicou o crescimento da cooperativa e a importância dos associados. Alguns deles chegaram a trabalhar nos lixões e ruas à céu aberto, expostos a toda sorte de doenças e mudanças climáticas, isso antes do nascimento da cooperativa. Estes sócios que hoje colocam, literalmente, a mão na massa no processo de triagem dos resíduos recicláveis ganharam dignidade e perspectiva de crescimento pessoal e profissional devido às tendências contemporâneas, que levam as pessoas a entenderem a importância da reciclagem.

Foi destacado que a maior dificuldade que a cooperativa enfrenta é o recebimento de lixo orgânico misturado aos recicláveis. Em miúdos, isso significa que a população ainda mistura restos de alimentos aos recicláveis, ou ainda não fazem a higiene correta dos recicláveis que condicionam alimentos. Isso implica na contaminação de parte dos recicláveis, dificultando o trabalho dos catadores (associados) no processo de triagem, e principalmente, torna-se desumano estar em contato com orgânicos em processo de decomposição. A comunidade tem o poder de influenciar diretamente na qualidade dos serviços prestados pela cooperativa, por isso, o trabalho de conscientização ambiental para separação correta e enxuta do lixo é fundamental, lembrando que os municípios, os setores privados, as instituições de ensino devem ser atores constantes neste processo de conscientização.

A cooperativa é formada por sonhos. Pessoas que um dia sonharam em ter uma vida melhor construíram a Coopervaí, realidade indispensável para Paranavaí e região. Vera Marcia resumiu, em poucas palavras, o que é a cooperativa hoje para ela e associados: "um sonho em construção". Sendo assim, convidamos as comunidades, os municípios, às empresas privadas, ONGs entre outros a sonharem este sonho. Como diz Miguel de Cervantes: "Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha junto é o começo da realidade".

Que a Coopervaí seja uma realidade cada dia mais forte em nossas vidas!